google-site-verification=ldFPMJs5-yw4C3ux8Xv8ENWEiUVKr0YQXFz1pwdIcXE
top of page

O caminho da Bolívia até as “Empresas B”


Não existe um “planeta B” mas sim as “Empresas B”, que geram lucros e que, além de tudo, provocam um impacto social e ambiental”. (Laredo, 2020)


No ano de 2006, na cidade de Berwyn, Pensilvânia, Estados Unidos, nascia a B Lab, uma organização sem fins lucrativos cuja visão é alcançar um sistema econômico inclusivo, regenerativo e equitativo para todas as pessoas e para o planeta. Esta organização é responsável por certificar as “Empresas B” pela sua contribuição aos ambientes em que estão inseridas; estas são empresas que, sem renunciar aos seus objetivos econômicos, apoiam o bem estar da comunidade. Isto se dá através do apoio a projetos e soluções que cumpram o objetivo de gerar impactos socioambientais positivos, operando com elevados padrões de desempenho e transparência. Isso tudo se fundamenta com uma visão de economia onde o êxito é mensurado pelo bem estar das pessoas, das sociedades e da natureza. Desta forma, ser uma “Empresa B” significa demonstrar ser possível buscar um impacto triplo na sociedade (econômico, social e ambiental), de forma simultânea, juntamente a um compromisso de melhora permanente, legal e de longo prazo.


Para ser elegível a certificar-se como uma “Empresa B”, o desempenho das empresas candidatas devem classificar seu desempenho através de uma avaliação de impacto B em cinco categorias influenciadas pelas ações da Organização em questão: seu modelo de negócios, governança, emprego, meio ambiente e comunidade. A cofundadora do “Sistema B”, María Emilia Correa (2018) aponta que “ as empresas podem tornar-se B em qualquer momento, tendo um ou 100 anos, sejam elas micro ou grandes”. Por este motivo, existe uma etapa denominada “bependente”, para todas as companhias que desejam ser B e que ainda não possuem condições de pleitear esta classificação mas que, em suas estratégias atuais, já estejam aliadas com estes princípios.


No mundo todo, existem 3.943 empresas classificadas como “Empresas B”. A Bolívia se uniu aos países que aplicam este modelo de negócios através da empresa de pisos de borracha reciclada Mamut (certificada em 2019) e também com a empresa de filtros d’água Bild (certificada em 2015). Estas foram as primeiras a obterem a certificação na medida em que combinaram sua rentabilidade econômica com os impactos sociais e ambientais.


Alfredo Zepeda (2019), diretor executivo do Sistema B do Chile, indicou que na Bolívia só existem duas empresas certificadas: BILD e Mamut. Porém, ele indica que o interesse das empresas na certificação começa a ser percebido: “A Bolívia tem um potencial enorme de crescimento deste modelo de negócios. Acreditamos que em dois anos, ela será uma referência para os outros países”.

Até o fm de 2020, 15 empresas bolivianas estavam com trâmites abertos para obterem a certificação. O gerente da Mamut, Laredo, indica que “ muitas empresas bolivianas já desenvolvem projetos de impacto, apenas não os medem”.



Fuente: Sistema B (página oficial, mayo 2021)



Daniel Andrade, gerente da empresa Bild, apontou em uma entrevista que “as empresas devem ser agentes de mudança para se aproximarem de suas comunidades. Em um desafio de alto nível de inovação. (…) acreditamos firmemente que as empresas devem ser um agente de mudança social positiva, que gere um impacto para melhorar a qualidade de vida das pessoas. É possível redefinir o sentido de sucesso de uma empresa, que não seja somente o lucro mas também o seu compromisso com as comunidades.

Da mesma forma, Manuel Laredo, gerente geral da Mamut, discorre: “ Somos uma empresa de materiais sustentáveis para a criação de cidades sustentáveis. Verificamos que havia um problema com os pneus usados na Bolívia pelo qual, através de uma economia circular, não tradicional e inovadora, conseguimos transforá-los em pisos de borracha com absorção de choque, gerando benefícios na qualidade de vida em toda a Bolívia.

Atualmente, a Bolívia se encontra a caminho de possuir a maior quantidade de empresas classificadas como “Empresas B” e somar-se ao resto do mundo na busca pela sustentabilidade sem sacrificar seus benefícios econômicos e a a proteção ao meio ambiente.




Referências

CAF [Banco de Desarrollo de América Latina]. (25/01/2017). “Empresas B”: redefinen el sentido del éxito en los negocios. Bolivia Emprende . Acessado em 17/05/2021 https://boliviaemprende.com/noticias/empresas-b-redefinen-el-sentido-del-exito-en-los-negocios


Cainco. (02/02/2019) “Empresas B”, nacidas para generar impacto. Empresa & Desarrollo. Acessado em 14/05/2021 https://www.cainco.org.bo/empresaydesarrollo/2019/02/02/10000218/


Castel, J & Vásquez, W. (16/05/2018). Empieza el movimiento de las empresas de bienestar. Periódico La Razón. Acessado em https://www.la-razon.com/lr-article/empieza-el-movimiento-de-las-empresas-de-bienestar/


Economy. (15/01/2019). Promueven el Sistema B en Bolivia para impulsar la economía de Triple Impacto. Acessado em 16/05/2021 de https://economy.com.bo/portada-economy/8-economy/negocios/1315-natura-promueve-en-bolivia-el-sistema-b-para-impulsar-la-economia-de-triple-impacto


Journey Bolivia. (26/02/2020). “Empresas B”, un modelo que desafía a las “Empresas B”olivianas. Coca-cola Journey. Acessado em 12/05/2021 de https://www.coca-coladebolivia.com.bo/historias/medio-ambiente-empresas-b--un-modelo-que-desafia-a-las-empresas-bolivianas


Journey Bolivia. (s.f.). Conoce la primera “Empresa B” de Bolivia y su compromiso por el acceso al agua potable. Coca-cola Journey. Acessado em 17/05/2021 de https://www.coca-coladebolivia.com.bo/historias/medio-ambiente-conoce-la-primera-empresa-b-de-bolivia





16 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page