google-site-verification=ldFPMJs5-yw4C3ux8Xv8ENWEiUVKr0YQXFz1pwdIcXE
top of page

Nova era na moda: artesãos


Fonte - Uma mulher tribal fazendo seu pano (Acesso em 17 de junho de 2021)

Atualmente, crescem as tendências de consumo mais consciente e sustentável em muitos mercados ao redor do mundo. A indústria da moda não está alheia a essa movimentação e está inovando, ano após ano, para poder se adaptar às novas exigências do mercado.


Apesar da expectativa de crescimento da indústria da moda após a recessão econômica provocada pela pandemia, os hábitos dos clientes foram alterados. Estes vão em direção a um consumo mais lento, de roupas com maior durabilidade, portanto, de melhor qualidade. Espera-se que as empresas encontrem novas maneiras de produzir e comercializar suas roupas, pensando em uma rastreabilidade da cadeia de suprimentos e uma produção próxima, que gere algum tipo de vínculo com a marca.

(Elisa Regardera, 2021)


Mas como os artesãos contribuem com os novos rumos da moda?


Os artesãos, em seus próprios negócios, de pequeno ou médio porte, estão buscando soluções éticas e sustentáveis para atender às novas exigências dos consumidores. Ao redor do mundo, encontramos iniciativas e empreendimentos sociais que conectam os talentos de designers, artesãos e microprodutores.


Além disso, com uma visão mais alinhada aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030, a moda artesanal é uma das ferramentas na busca de uma indústria têxtil mais responsável. Os impactos refletem não só no meio ambiente mas também na sociedade e na economia. (Ethics Institution Foundation, s.f.)


- A baixa escala de produção, característica do “slow-fashion”, devido ao caráter único dos produtos e que são feitos manualmente por cada artesão.

- A manutenção das tradições, dentro das comunidades, como as técnicas de tingimento e tecelagem possuem um significado especial. Essa herança se mantém de geração a geração por meio da fabricação destas peças.

- O uso de recursos mais sustentáveis. As comunidades valorizam e protegem o meio ambiente. Por isso, evitam que seus processos sejam nocivos ao meio ambiente

- A valorização do trabalho justo, onde se respeitam os horários e os pagamentos, de acordo com a atividade realizada. Ressalta-se que, devido à preponderância feminina na condução dos processos, percebe-se a construção de uma independência econômica e o posterior desenvolvimento familiar.


Nos dias de hoje, a tendência artesanal provém de diferentes lugares do mundo. Dentro da moda latino americana, por exemplo, encontramos a MolaSasa e a Escvdo, da Colômbia e do Peru, respectivamente. Ambas trabalham com artesãos das comunidades, promovendo um trabalho sustentável e responsável. Não obstante, as peças de cada comunidade se enquadram no conceito de slow fashion e carregam um selo único de cada artesã.


A economia da moda está mudando, as novas tendências de sustentabilidade e digitalização permitem o desenvolvimento dessa indústria. Os artesãos, com suas tradições, serão um dos novos atores que permitirão às marcas adaptarem-se aos seus novos consumidores.


Referências:


Ethical Fashion Institute - EFI (s.f.) Ethics.


Europapress (2021) La industria de la moda “ha visto que su modo de operar no es sostenible”, según experta de UIC Barcelona.


MolaSasa (s.f.) Nuestro Mundo.


Chandran, Nyshka (2020) Elevating artisans: What luxury fashion can learn from social enterprises. Vogue Business


19 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page